Arquivos Blog - EVEHX
  41. 3133-3000    
  evehx@evehx.com
 
     

Impresa

O mercado de protensão no Brasil está em seu melhor momento e em pleno crescimento. Somente no ano de 2020 o setor de protensão apresentou uma alta de 100% em relação ao ano anterior. O trabalho de divulgação, a troca de experiencias e as inovações que vêm sendo trazidas ao longo dos anos pelos diversos profissionais do mercado e da indústria têm contribuído significativamente para essa expansão.

Em busca de ofertas diferenciadas para seus clientes, as construtoras estão cada vez mais abertas a substituir a técnica de concreto armado pelo protendido. Em paralelo, arquitetos e engenheiros calculistas têm se dedicado a projetos modernos, com liberdade arquitetônica, uso de grandes vãos e com a proposta de estruturas mais leves.

O representante da Belgo Bekaert Arames, Warley Ricardo dos Santos,  destaca que a protensão é uma metodologia com reconhecimento que, se bem aplicada, reduz significativamente os custos da estrutura bem como redução do tempo de execução do empreendimento.

“Neste momento podemos dizer que esta solução de aço para protensão está cada vez mais consolidada e as construtoras já conseguem observar na prática este benefício de redução de custos e tempo de execução de suas estruturas. Anualmente percebe-se aumento substancial de conversão da utilização da estrutura em concreto armado pela estrutura protendida”, afirma Warley.

Custo do aço

A alta do dólar, a escassez de matéria prima e algumas restrições logísticas devido a pandemia, fizeram com que o valor do aço CA-50 aumentasse consideravelmente de preço, viabilizando o uso do aço CP-190RB.

Lavando em consideração que o aço CP-190RB resiste aproximadamente 2,75 vezes o aço CA-50, os valores de venda atuais fazem com que o uso da protensão apresente uma redução entre 10 e 20% do custo com aço na obra.

“O custo do aço para protensão está ficando cada vez mais barato se comparado com o aço para armadura passiva”, lembra o representante da Belgo Bekaert Arames.

Futuro da Protensão

As expectativas para o futuro da protensão são as melhores possíveis, tendo em vista que cada vez mais profissionais estão procurando especialização e aprendendo novas tecnologias.

Somado a isto temos empresas de protensão, como a Evehx Engenharia, se dedicando continuamente à segurança, produtividade e inovação, verticalizando processos e disseminando informações sobre concreto protendido a fim de contribuir com esse ecossistema.

“Certamente o Brasil é um país com grande potencial para a utilização desta solução, pois a industrialização no canteiro de obra está cada vez mais latente. Produtividade, maior controle tecnológico, maior qualidade e menores patologias são características da protensão e ajudam esse crescimento de maneira sistemática”, finaliza Warley.

A busca por modelos produtivos sustentáveis é uma das maiores necessidades humanas do mundo moderno. Tal conceito é de vital importância para assegurar o desenvolvimento econômico e social para as futuras gerações. Sendo assim, a construção civil é uma das maiores protagonistas nesse aspecto, uma vez que detém parcela considerável na geração de resíduos e gases poluentes.

Portanto, o uso de materiais sustentáveis na construção civil é um passo determinante para consolidar um futuro ecologicamente viável. Nesse aspecto, podemos destacar a tecnologia de concreto protendido, uma alternativa que proporciona um ciclo construtivo mais sustentável, além de permitir criações esteticamente surpreendentes.

1. Redução no uso de materiais


De acordo com o Conselho Internacional de Construção (CIB), a indústria da construção responde pela maior parcela dos recursos naturais que são utilizados pela atividade humana. Estima-se também que esse setor produz a maior quantia de resíduos sólidos que são gerados atualmente, assim como emite um volume considerável de gases causadores do efeito estufa.

Portanto, compete ao setor buscar alternativas para minimizar esses impactos, como a redução considerável de desperdícios nos canteiros de obras. O que é alcançado por meio do uso de protensão nos empreendimentos, uma vez que esse modelo usa entre 15% a 35% menos aço e concreto, em comparação com outros modelos, e reduz em até 20% o uso de madeira nas formas.

2. Mais segurança e durabilidade


Engana-se quem pensa que a tecnologia de concreto protendido pode ser usada apenas em construções residenciais. Essa inovação é muito empregada em grandes empreendimentos, que necessitam de uma infraestrutura mais robusta e segura, como é o caso de pontes, viadutos, passarelas, prédios, entre outros.

Especialistas asseguram que o sistema de protensão confere mais segurança e durabilidade às obras. Dois atributos que ampliam o status sustentável da protensão. Uma vez que a redução das manutenções contribui para economia financeira e redução de resíduos

No que se refere ao desempenho estrutural, o sistema de concreto protendido também difere das opções mais tradicionais, como o concreto armado. Nesse caso, a protensão apresenta resultado superior garantindo menos fissuras, mais resistência e controle de deformações. Como já citado, reduzindo eventuais manutenções e/ou correções, intervenções essas que produziriam mais resíduos sólidos e transtornos em todo o entorno do empreendimento.

3.Impacto circular


Além desses exemplos pontuais, a tecnologia de protensão gera diversos impactos sustentáveis, num efeito em cadeia. Por exemplo, por economizar o uso de materiais, reduz a necessidade de caminhões transportando insumos para as obras, o que diminui os gases emitidos da queima de combustível, assim como os impactos da indústria extratora de minério de ferro.

A tecnologia de protensão requer conhecimentos específicos para que seja aplicada. Assim como o domínio de técnicas e equipamentos. Dessa forma, estimula a capacitação profissional e o investimento em inovação, causando impacto direto na renda das pessoas e no potencial tecnológico do país.

Há também o impacto positivo no turismo e na urbanização, por exemplo, já que o concreto protendido permite realizar a criação de obras que desafiam paradigmas. Basta analisar, por exemplo, o MASP e a ponte Rio-Niterói, dois ícones da arquitetura modernista que até hoje encantam as pessoas.

Como explorado, a tecnologia de protensão representa um enorme potencial para a construção se tornar mais sustentável. Desde o período da Segunda Guerra Mundial, quando esse sistema passou a ser usado, os benefícios do concreto protendido se difundiram por todo o globo. Além da economia financeira, produtividade, qualidade e durabilidade, o sistema de protensão permite explorar atributos estéticos totalmente inovadores.

Confira mais vantagens do concreto protendido!

Nas décadas passadas, a madeira tinha papel de destaque na construção civil. Não por acaso, ao lado dos pedreiros e serventes estava a figura do carpinteiro. Com o passar do tempo, a madeira foi sendo substituída por outros materiais. Um exemplo disso é o uso de escoras metálicas nas obras.

O objetivo deste artigo é comentar os efeitos práticos dessa mudança e mostrar as vantagens das escoras de metal no dia a dia da construção civil. 

1. Maior segurança para os profissionais


Um ponto que precisa da atenção de quem está à frente de uma obra é a segurança dos funcionários. O setor da construção civil é, infelizmente, um dos campeões no ranking de acidentes de trabalho, de acordo com a Secretaria de Previdência e Trabalho.

Com uma estrutura mais resistente, o escoramento metálico garante maior nível de segurança na obra. Como são modulares e utilizados em menor número deixam o canteiro de obras mais limpo reduzindo o risco de acidentes. Ainda seguem normas técnicas específicas (NR-18 e da NBR-15.696) e atendem medidas preventivas de acidentes.

2. Respeita a legislação ambiental


Como se sabe, o que confere à madeira a capacidade de resistência é a espécie da árvore da qual ela foi retirada. Árvores que demoram mais tempo para crescer, como a Canela e a Araucária, fornecem madeiras mais fortes. 

Esse não é o caso das árvores de reflorestamento, como Pinus e Eucalipto. Entretanto, as árvores mais resistentes são protegidas por lei, devido ao risco de extinção.

Sendo assim, um crime ambiental pode custar caro à empreiteira. Não há motivos para a sua empresa contribuir com a extinção de árvores nativas, uma vez que as escoras metálicas são altamente resistentes — e o melhor de tudo: elas podem ser reutilizadas diversas vezes e recicladas após o fim de sua vida útil em obra. 

3. Traz economia à obra


De uma certa maneira, os tópicos anteriores também falam de dinheiro, pois multas e processos podem custar caro a qualquer negócio — principalmente, quando são causados por negligência.

Ainda assim, usar escoras de madeira na obra onera o negócio de outras formas. Em primeiro lugar, esse material pede a presença de um carpinteiro. As escoras metálicas diminuem a necessidade da quantidade de mão de obra especializada.

Em seguida, temos o fato que as escoras de madeira têm um tempo de vida muito menor do que as metálicas. A força de uma estrutura, como uma laje, pode danificar a madeira, impedindo que ela seja reutilizada em outro projeto.

Existem ainda outras vantagens, como o baixo custo com armazenamento, pois esses materiais são fáceis de serem guardados. Somando os custos diretos e indiretos, fica evidente as vantagens financeiras de usar escoras metálicas.

Na indústria, é importante saber a diferença entre gasto e investimento. Um investimento se paga com o tempo, traz retorno à empresa e esse é o caso das escoras de metal.

Desde construções uni familiares até grandes obras, o concreto protendido proporciona mais segurança, produtividade e aumenta a liberdade arquitetônica. A utilização desse sistema permite a inovação nos projetos, vencendo grandes vãos e garantindo maior confiabilidade estrutural.

Com a popularização da protensão, sua utilização se tornou cada vez mais comum em projetos de diversos perfis, desde a construção de pisos para galpões, passando pelas pontes e viadutos, até o uso em edifícios residenciais e comerciais, não deixando de lado as casas com arquitetura diferenciada.

O alcance de estruturas mais leves, mais versáteis, com maiores vãos nos ambientes e  concretagem mais rápida geram economia de tempo e eficiência na produção. Esses fatores fazem com que o sistema de concreto protendido ganhe mais espaço no mercado da construção civil.

É possível afirmar que o concreto protendido é uma tecnologia inteligente, estável e segura, que pode atender esforços estruturais com uma boa relação custo-benefício. A técnica, que teve sua origem na Europa e Estados Unidos, foi trazida ao Brasil por volta de 1949 com a construção da ponte do Galeão. Desde então, com os avanços e investimentos em pesquisas, a protensão veio ganhando espaço, principalmente na última década.

Vantagens que se adaptam a qualquer obra

Confira alguns benefícios de utilização do concreto protendido e entenda como esse sistema pode ser vantajoso para projetos de diversos portes:

– Baixa necessidade de manutenção ao longo da vida útil;

– Adaptação a projetos arquitetônicos mais ousados, com peças estruturais mais esbeltas e grandes vãos;

– Garantia de controle e redução de deformações e fissuração;

– Possibilidade de aplicação em elementos pré-moldados;  

– Garantia de mais durabilidade da estrutura, pois atua diretamente combatendo os esforços de tração, que são os principais responsáveis pela fissuração;

– Possibilidade de redução na quantidade de aço e concreto, pois utiliza materiais de alta resistência com maior eficiência;

Além dos pontos destacados, lembramos ainda da questão da segurança, conferindo características que atendem às recomendações normativas e garantem maior confiabilidade estrutural.

O concreto protendido pode ser considerado um grande aliado da engenharia.

A corrosão em estruturas de concreto armado costuma assustar as pessoas, pois depõem contra a qualidade da obra. Contudo, por que será que esse tipo de situação ocorre? Será que existe alguma forma de evitar esse problema?

Para ajudá-lo a responder essas perguntas, decidimos publicar este artigo, analisando algumas características do concreto armado — além de trazer dicas para evitar que a sua estrutura de concreto sofra com os efeitos da corrosão. Vamos lá?

Por que ocorre a corrosão?


A corrosão é um processo natural, causado pela exposição do elemento metálico à umidade e gases que fazem parte do ambiente. Essa exposição da estrutura metálica acontece quando o concreto em torno do aço apresenta falhas executivas. 

Em regiões de praia, isso é mais comum por causa da ação de cloretos.

Como evitar a corrosão do concreto armado?


A forma mais fácil é evitar falhas na concretagem e respeitar o recobrimento das normas.

Além disso, é muito importante considerar as questões ambientais do projeto. Como já mencionado, regiões litorâneas tendem a sofrer mais com a corrosão, embora ela possa ocorrer em qualquer lugar.

É possível ainda recorrer aos materiais de proteção de superfície, impermeabilizando e protegendo a superfície e evitando que os agentes externos acessem a estrutura com mais facilidade.

Alguns desses materiais são as tintas e vernizes. Eles criam uma película que protege a área externa da estrutura. Há também os bloqueadores. Esses produtos são absorvidos e criam uma reação química que altera a penetração de umidade.

Em alguns casos, é possível usar técnicas de concreto protendido, mais resistente e com maior durabilidade do que o concreto armado.

Quais os sinais de corrosão no concreto armado?


As fissuras e as trincas são sinais mais comuns de que a estrutura de concreto armado está sofrendo com a corrosão. Manchas na superfície também podem ocorrer.

Verificando esses sinais, é preciso criar um plano de ação para corrigir as falhas, pois elas podem representar um risco estrutural. Essa restauração pode ocorrer de diversas formas, dependendo do tipo da estrutura. 

Algumas estruturas de concreto apresentam sinais de deterioração com o passar dos anos. No entanto, quando isso ocorrer, é preciso iniciar um plano de restauração rapidamente, evitando que a corrosão do concreto armado. 

Por isso, muitos profissionais optam por usar o concreto protendido, já que ele tem uma resistência maior em relação às intempéries, forças externas e internas. Antes de iniciar a sua obra, verifique a possibilidade de usar esse tipo de concreto, garantindo mais qualidade para o seu cliente. 

Dentro da protensão, existem três diferentes formas de aplicação com variações da técnica.  Os diferentes tipos de protensão possibilitam a realização de obras de diversos portes e cenários, desde unidades residenciais até pontes e viadutos.

O concreto protendido é um sistema que atua através do equilíbrio de forças. A técnica também é utilizada para aproveitar o potencial que o concreto tem de suportar a compressão e reduzir de maneira significativa as fissuras geradas pela tração. É um processo com excelente custo-benefício, capaz de aumentar consideravelmente a vida útil da estrutura.

Tipos de protensão

Pós-tensão aderente  – A armadura de protensão é colocada no interior de bainhas que a isolam do concreto, seguindo elevações pré-estabelecidas em projeto. Após o concreto atingir a resistência desejada, os cabos são tracionados e ancorados nas extremidades da peça, criando aderência com o concreto de modo permanente e por meio de injeção posterior da calda de cimento nas bainhas.

Pós-tensão não aderente –  Nesse caso, a cordoalha utilizada é engraxada e revestida com uma camada plástica de alta densidade (PEAD). O tensionamento dos cabos é feito após o concreto curado atingir a resistência determinada no projeto.

Pré-tensão  – Nesse modelo, o aço é tensionado antes que o concreto seja lançado, utilizando apoios independentes do elemento estrutural, chamados de pista de protensão. Essa ancoragem da armadura só é feita depois da cura do concreto.

O concreto protendido é uma solução muito indicada para vencer qualquer tipo de obra. Sua versatilidade permite a aplicação do sistema em diferentes projetos, de diversos portes.

A EVEHX está preparada para oferecer o que existe de mais avançado em protensão aderente e não aderente para diversos tipos de obras.

O mercado de construção se mantém em constante evolução, criando oportunidades para investidores, além de gerar milhares de empregos. Tudo isso porque o setor atende uma das mais importantes demandas das pessoas: a moradia.

Entender as tendências da construção civil para este ano nos ajuda a compreender como as empresas farão para driblar os novos desafios em seus projetos — além de atender às novas exigências do mercado.

Por isso, publicamos este artigo que traz um panorama do setor, além de criar uma reflexão sobre o futuro da construção civil em 2021. 

Sustentabilidade

A construção civil depende de financiamentos para conseguir trabalhar. Esse capital pode vir de fundos públicos, como o FGTS, ou de fundos privados, como os relacionados aos investimentos em Letras do Crédito Imobiliário (LCI).

Nesse caso, o que tem mudado é a exigência dos investidores em relação ao compromisso das empresas que serão financiadas sobre temas como: meio ambiente, impacto social e a própria governança da marca.

Entre as tendências da construção civil em 2021, destacamos a necessidade de deixar claro o posicionamento da empresa sobre esses assuntos, mostrando como ela investe em economia de recursos, trabalha em prol da preservação ambiental, entre outras.

Neste ano, esse tipo de posicionamento pode ser o diferencial para construtoras conseguirem captar capital para executar os seus projetos. No futuro próximo, posicionar-se sobre esses temas não será tendência, mas exigência.

Casas inteligentes

Um dos grandes debates de 2020 esteve em torno da tecnologia 5G. Essa tecnologia transformará nossas cidades, pois ela exige que pequenas antenas sejam instaladas pelas ruas para garantir um sinal de internet muito mais rápido e estável.

Com essa nova conexão, será possível realizar feitos incríveis, como controlar máquinas que estejam em países diferentes. Paralelo a isso, temos o crescimento do uso de assistentes pessoais, como Google Assistente e Alexa.

Fica claro que uma das tendências para a construção civil em 2021 é a adequação dos imóveis para receber essas tecnologias — o que inclui novos projetos elétricos, paisagísticos e a criação de imóveis residenciais mais preparados para o home office.

Ainda levará um tempo para que as casas inteligentes se tornem o padrão de consumo, mas, é evidente que os projetos adequados à nova realidade ganharão a preferência do consumidor.

Digitalização de processos

Em 2020, muitos lançamentos foram adiados devido à pandemia. Depois, eles foram feitos de forma virtual. A tecnologia existente já possibilita que as empresas possam atender os compradores on-line, incluindo a experiência da visitação do imóvel.

É importante que os empresários do setor reflitam sobre essas novas tendências, pois ignorá-las pode prejudicar o desempenho de comunicação da empresa.

Uso do concreto protendido

É verdade que o concreto protendido não é bem uma novidade, mas o que mudou em relação a ele foi a forma como muitos profissionais avaliam seu uso em obras. Antigamente, sua utilização era focada em construções de grande porte. Hoje, engenheiros e calculistas entendem que esse método construtivo é um excelente recurso para modernização de obras de qualquer porte. 

Visando o ganho de produtividade, entre outras vantagens, as empresas passaram a usar o concreto protendido sempre que é oportuno. Ao mesmo tempo, o avanço tecnológico e a eficiência nos processos das empresas que trabalham com esse sistema ajudaram a tornar o concreto protendido mais acessível.

O consumidor nem sempre faz ideia da quantidade de tecnologia empregada na construção de um imóvel. É por isso que estar ciente das tendências para construção civil em 2021 é tão importante, pois ajuda a empresa a refletir sobre os seus processos, ganhando eficiência.

Versátil, sustentável e ideal para qualquer tipo de estrutura, o concreto protendido traz mais produtividade para as obras, otimizando o processo construtivo e gerando economia.

A economia financeira – com obras mais rápidas e menos impacto ao meio ambiente – é uma das qualidades que mais chama atenção quando falamos em protensão. Um projeto executado com esse método construtivo pode ter uma redução de cerca de 15% no consumo de aço e concreto em comparação com a estrutura equivalente em concreto armado. Sem contar com o tempo menor de execução e a possibilidade de vãos maiores, proporcionando espaços mais amplos, que são revertidos em diferenciais para o cliente final, valorizando ainda mais o projeto.

A economia em termos gerais administrativos pode ser exemplificada. Tomando-se da seguinte forma: em uma obra com 30 funcionários e uma folha de pagamento girando em torno de 50 mil reais mensais, antecipar a finalização do projeto em um ou dois meses pode gerar uma economia de até 100 mil reais. Com a utilização da protensão isso é possível.

Outro exemplo prático seria a eliminação de pilares, proporcionando melhor aproveitamento do espaço. Levando em consideração que uma vaga de garagem pode custar em torno de 40 a 60 mil reais, aumentar a disponibilidade de vagas também significa acrescentar possibilidades de vendas e lucratividade para as construtoras.   

Mas, nem só de sustentabilidade são feitos os ganhos do concreto protendido. Especialistas da área concordam que o sistema também garante melhor desempenho estrutural, menos fissuras e controle de deformações.

A protensão é uma excelente opção para qualquer tipo de obra, seja ela de grande porte ou infraestrutura, como de pontes, viadutos, passarelas e parques eólicos. Além de construções habitacionais e corporativas, tanto em multipavimentos quanto em residências unifamiliares.

A técnica de concreto armado é muito popular no Brasil, sendo aplicada em projetos residenciais simples e mais complexos. Contudo, uma outra técnica, mais moderna tem se destacado no ramo da construção civil: o concreto protendido.

Usar o concreto protendido em vez do concreto armado não é apenas uma troca em relação à técnica, mas um avanço quando se trata de construção.

Para que você entenda melhor as vantagens do concreto protendido, decidimos publicar este artigo, trazendo alguns benefícios desse método em relação aos demais.

1. Reduz as fissuras e deformações

O concreto armado apresenta, com o passar do tempo, fissuras que podem colocar em xeque a solidez da estrutura e causar desconforto durante a utilização.

Essas fragilidades não ocorrem com o concreto protendido, já que ele foi desenvolvido para lidar de maneira mais eficiente com esses fatores. É por isso que esse método é usado em grandes obras, como as pontes.

2. Diminui o retrabalho na obra pronta

O concreto protendido reduz a necessidade de retrabalho, uma vez que a incidência de fissuras cai drasticamente. Isso é bom por vários motivos, mas o principal deles é que a imagem da empresa que utilizou o concreto se fortalece junto ao seu cliente, pois ele entende a qualidade final da obra e a escolha pelo concreto protendido como pontos positivos de quem executou o projeto.

3. Otimiza a fundação

Outra vantagem é que os elementos estruturais no concreto protendido é mais esbelto que o do concreto armado,  reduz o peso estrutural, fazendo com que alivie o peso na fundação, trazendo mais economia.

Quem atua no setor de construção civil sabe de todos os cálculos e estudos que são feitos para garantir que uma obra tenha estabilidade e segurança, não é mesmo? Esses estudos são baseados em sistemas estruturais tais como Concreto Armado e Concreto Protendido.

Você com certeza conhece os detalhes sobre o Concreto Armado, pois essa técnica é muito popular no Brasil, destacando-se a partir do século XX. 

Se pararmos para pensar, é fascinante que estudos relacionados à Física, Matemática e Arquitetura, tenham contribuído para a criação de uma técnica capaz de construir um material tão resistente quanto as rochas. 

Pensando nisso, decidimos publicar este artigo, contando um pouco das características e história do Concreto Protendido — um notável avanço no setor de construção civil.

Concreto Protendido: quais as diferenças para o Concreto Armado?

O Concreto Protendido é semelhante ao Armado, pois ele também é feito usando concreto e aço. A diferença entre os dois tipos de concreto está no uso de cordoalhas de aço para aumentar a resistência desse material. 

No Concreto Armado, utiliza-se as barras de aço, com o objetivo de aumentar a resistência à tração.  

Sem as barras de aço, o concreto resistiria muito pouco a tração e isso dificultaria muito o seu uso para lajes em edificações.

No Concreto Armado, a barra de aço tem uma atuação passiva, isso significa que ela não exerce força sobre o concreto, trabalhando apenas quando se deforma, seja por cargas permanentes ou acidentais.

Já no Concreto Protendido, existem as cordoalhas de aço que são ativas, elas exercem uma força permanente dentro do concreto, as cordoalhas são tensionadas e alongadas através de macacos hidráulicos e transferem esses esforços para o concreto através de ancoragens e das tensões geradas pelo traçado da própria cordoalha.

Isso faz com que haja uma redução da tração no concreto, o que limita muito a fissuração e a deformação dessa estrutura.

O Concreto Protendido é uma evolução do Concreto Armado?

Podemos concluir que sim, pois apesar do Concreto Armado apresentar certa resistência à tração, as fissuras e a deformação sempre foram um desafio para os pesquisadores da engenharia. 

O Concreto Protendido praticamente resolve esses problemas, trazendo mais resistência e durabilidade às construções. 

Quando o Concreto Protendido foi usado no Brasil?

Em nosso país, a primeira grande obra que fez uso do Concreto Protendido foi a ponte do Galeão, inaugurada em 1949, no Rio de Janeiro, essa ponte dá acesso ao aeroporto internacional do Rio de Janeiro e marcou o início do uso desse concreto não só no Brasil, como em toda América Latina. 

A partir daí, o uso do concreto protendido vem crescendo muito, uma vez que o concreto protendido tem se mostrado mais viável que o concreto armado.