Lajes nervuradas permitem economia às construções - EVEHX
  41. 3323-3443     11. 2679-2963  
  evehx@evehx.com
 
     
Lajes nervuradas permitem economia às construções

Um dos principais elementos estruturais de qualquer edificação e dos que exige maior atenção na hora do cálculo estrutural é a laje. Esse tipo de laje possui nervuras em sua parte inferior que funcionam como mini vigas, e por isso, uma das maiores vantagens desse sistema é justamente a possibilidade de dispensar o uso de vigas na construção, além de permitir vãos livres grandes. É até comum notar, por debaixo dessas lajes, espaços vazios que eram ocupados, durante a concretagem, por moldes plásticos com formas curvas — também conhecidos como cubetas. Na maioria dos casos, são moldadas in loco com fôrmas. Mas também podem apropriar-se de vigotas pré-moldadas de concreto comum ou protendido que dispensam o uso de fôrmas. Nesse caso, após a concretagem, as vigotas assumem o papel das nervuras.

As fôrmas são encontradas em diversas geometrias, com distâncias entre os eixos de nervuras, larguras e alturas variáveis. A dimensão correta da fôrma será ditada pelo projeto estrutural, em função do vão e da carga, e devem obedecer às normas vigentes (NBR’s 6118, 15200 e 15575-3) nos diversos casos específicos.

Dentre as vantagens das lajes nervuradas, podemos destacar: permite o emprego de grandes vãos que liberam, consequentemente, mais espaço, o que é muito vantajoso em garagens, por exemplo, onde os pilares por vezes dificultam as manobras; é versátil e por isso pode ser utilizada tanto em edificações comerciais, residenciais, educacionais, hospitalares, garagens, clubes e muitos outros; permite uma maior economia, visto que é possível fazer, por exemplo, a racionalização do uso de telas para a armadura de distribuição e o uso de fôrmas plásticas modulares para laje, como as da Atex, em vez de madeira; garante a durabilidade e a segurança no local, visto que é altamente segura e não sofre o perigo de corrosão precoce; quando bem avaliado e calculado, utiliza menos concreto e aço na sua construção, o que gera uma economia maior para o proprietário da obra.

A inovação desse sistema permite a troca de vigas maciças por vigas-faixa nervuradas. A mudança também implica no sistema de transferência de esforços, que serão descarregados, em parte, diretamente nos pilares. O sistema facilita o processo de escoramento e de execução das fôrmas, já que as vigas estão embutidas nas lajes.

Por fim, em relação à laje maciça, a laje nervurada em muitos casos se torna mais econômica por eliminar o concreto desnecessário, ou seja, que não tem função estrutural na região tracionada e, por ter maior altura, reduz a necessidade de aço.

Fontes: AECwebPortal ConstruindoDecor / Fôrmas Alex

Vibe Studio